“Bruno Varela vs José Costa – Qual a razao dos destinos distintos?”.

Este tema, quando envolve “jovens” apesar de estarem em idade adulta são sempre muito sensíveis e delicados de comentar. Existem várias mudanças na vida das pessoas, e o desporto não é excepção. Problemas pessoais, Faculdade, são exemplos de condicionantes numa carreira desportiva, e quem os gerir melhor é que pode vir a aspirar ao sucesso. Se antes a qualidade era essencial para se integrar num grande, o que acontece quando se deixa de estar em Formação e se chega à idade sénior? Foi o que aconteceu a estes dois guarda-redes formados no Futebol de 11 no Benfica, e que tiveram o mesmo percurso até chegarem a seniores. Desde cedo, que os dois se impuseram na formação do clube e jogavam em sistema rotativo, sem haver um que se afirmasse em definitivo como número 1. Ganharam muitos títulos juntos, dividiram os louros das conquistas e até tiveram um percurso similar nas selecções jovens distritais e nacionais. Apesar disto tudo, o Bruno Varela foi aquele que dos dois, mais representava equipa B sénior do clube, e enquanto isso José Costa jogava nos Juniores. Quando o primeiro nao jogava na equipa sénior, descia um escalão para ser titular nos juniores (onde acabou a época). Ou seja, começou-se a perceber, que a aposta para o futuro estava mais virada para o Varela.

Na presente temporada, ficaram no plantel dos B’s os seguintes guarda-redes: Oblak, Varela, Mika, Miguel Santos e José Costa. Mika não se tinha imposto e como guarda-redes com a experiência que possuía, não podia ficar como 3ºguarda-redes e saiu por empréstimo. Mas aqui é que aparece a surpresa. Entra o Miguel Santos para o plantel, e o José Costa sai, quando nada fazia prever este cenário para o comum adepto de futebol. Nao sabemos o que se passa em treino, as vontades do clube e as suas ideias, mas como é que um guarda-redes que pouco jogou nas temporadas que vestiu as cores encarnadas, ultrapassa desta forma um guarda-redes com o historial de José Costa? Posto isto, este último seguiu o seu caminho para o Oliveira do Bairro, clube onde esteve antes de ingressar no Benfica, e que milita na 1ºDivisao Distrital de Aveiro. Encontra-se neste momento em 2ºlugar e a lutar pela subida ao Campeonato Nacional de Seniores.

O que intriga, é que apesar de serem guarda-redes diferentes no estilo, um mais rápido e com mais agilidade e o outro mais físico, e com forte impulsão e posicionamento, tiveram estes destinos. Será filosofia do Benfica como clube, que tem como principal ideal um guarda-redes que se imponha fisicamente, ao invés de ter um guarda-redes rápido e ágil? Nao sabemos esta parte. Apenas podemos ter opiniao sobre o que sai para o público e é sob essa condicionante que este texto foi feito.

Termino a desejar imensas sortes a estes dois guarda-redes de grande qualidade na sua carreira, e que possam concretizar os seus sonhos com o trabalho e evolução que apresentam de momento!

Facebook Comments