Os quartos-de-final do Europeu de Futsal terminaram e, desde logo, a nossa Seleção disse adeus à competição.

No embate frente a nuestros hermanos, Jorge Braz, ao contrário do que todos previam, lançou o experiente guardião Bebé em detrimento do, na minha opinião,o guarda-redes português em melhor forma Vítor Hugo. No início do jogo o guardião do SL Benfica até começou a fazer valer a aposta do selecionador mas, devido a erros de Bruno Coelho, Paulinho e do próprio Bebé, o resultado depressa ficou em 3-0 a favor dos espanhóis. Bebé esteve muito interventivo no início do jogo, mas o segundo golo teve alguma culpa do guarda-redes. Culpa teve também o guardião português no quarto golo espanhol. Depois de Portugal ter reduzido para 3-1, adivinhava-se um crescendo da seleção portuguesa mas não foi isso que veio a acontecer. Após 25 segundos de Portugal reduzir o marcador, numa zona em que Raúl Campos tinha pouco ângulo, a bola passa entre Bebé e o primeiro poste, algo que só pode ser definido como um erro grosseiro. Uma bola nunca pode passar ali! Portugal foi eliminado mas não significa que não tenha lutado por isso só que, do lado espanhol, estava uma autêntica muralha na baliza. Paco Sedano fez uma exibição tremenda anulando várias tentativas da seleção portuguesa em reduzir o marcador, como por exemplo na situação 5×4 tirou duas bolas de dificuldade extrema a remates de Tiago Brito. A experiência do guardião do Barcelona foi decisiva neste jogo.

No confronto entre Sérvia e Ucrânia, a sensação da prova manteve-se em competição com o golo da vitória a surgir no último segundo de jogo. Do lado sérvio houve um Aksentijević, um dos melhores guarda-redes do Euro até ao momento, totalmente seguro das suas capacidades. Demonstrou imensa confiança, transmitindo segurança à sua equipa e isso reflete-se no Europeu que estão a fazer. Ivaniak e a sua Ucrânia dizem adeus ao Europeu mas o guardião ucraniano não pode ficar infeliz. Realizou uma excelente exibição, principalmente após a Ucrânia conseguir fazer o 1-1, e aquele golo ao cair do pano em nada mudou o que o guarda-redes do Lokomotiv Kharkiv fez durante o jogo e em todo o Europeu.

No segundo dia dos quartos-de-final temos de destacar outro dos destaques da competição. Além da organizadora Sérvia, também o estreante Cazaquistão tem feito um excelente Euro e isso refletiu-se na vitória frente à campeã em título Itália. O brasileiro naturalizado cazaque Higuita tem sido um dos destaques deste Europeu e, neste jogo, levou a melhor sobre o excelente Mammarella. Numa vitória por 5-2, o Cazaquistão pode dizer que teve a ‘estrelinha da sorte’ do seu lado, juntamente com a constelação Higuita, que defendeu quase tudo o que havia para defender. Mas Higuita trouxe um problema ao selecionador: viu o segundo amarelo na competição e não poderá defrontar a Espanha, sendo que Shamro será o titular no próximo jogo. Já Mammarella que, até ao jogo com o Cazaquistão, não tinha sofrido qualquer golo, sofreu quatro  neste jogo (o quinto foi com Gabriel Lima na posição de guarda-redes), sendo que dois deles (segundo e quarto) foram com alguma sorte à mistura. Fica assim pelo caminho a excelência e categoria de Mammarella.

No outro jogo o favoritismo da Rússia veio a concretizar-se num triunfo por 6-2 frente ao Azerbaijão. Do lado russo, o Petr Čech russo Gustavo teve uma exibição algo tranquila visto que os russos estiveram sempre por cima do jogo. Com, no mínimo, três boas defesas, destaca-se ainda a excelente reposição de bola que resulta no quarto golo russo. Nesse mesmo golo denotou-se alguma apatia por parte da equipa azeri e, principalmente, de Amadeu (na altura o guarda-redes na situação 5×4) e Huseynli, guarda-redes do Azerbaijão. O guardião azeri de 24 anos demonstrou, ao longo de toda a competição, alguma inexperiência. Neste jogo essa pouca experiência foi fatal. Exemplo disso foi o terceiro golo da Rússia em que, ao dar um pequeno passo para a direita, ficou tapado pela barreira e não conseguiu chegar à bola batida por Robinho.

Nas meias-finais teremos mais dois excelentes jogos para observar principalmente as balizas. O jogo com maior expetativa é mesmo o Sérvia-Espanha, que irá pôr frente-a-frente dois dos melhores guarda-redes do Europeu até ao momento: Aksentijević e Paco Sedano. A surpresa defronta a experiência. No jogo Rússia-Cazaquistão, Shamro fará a sua estreia no Europeu em detrimento do castigado Higuita. Sem dúvida uma enorme baixa para os cazaques. Do lado russo estará o constante e seguro Gustavo. Preveem-se dois excelentes jogos, com a certeza que haverá espetáculo nas balizas.

Facebook Comments