Terminada a época de 2015/16, começa-se a fazer o balanço do que correu bem e mal. E para Donnarumma, a nível pessoal, não podia ter corrido melhor…

Começou a temporada como o 3ºguarda-redes do AC Milan, atrás de Diego Lopez e Abbiati. Destacou-se na pré-época num torneio internacional quando defendeu uma grande penalidade de Toni Kroos (Real Madrid). As pessoas começaram a saber, nesse momento, que poderia estar um prodígio a surgir. Tinha 16 anos aquele “menino” que defendia um penalty de uma estrela.

Com os resultados negativos do Milan, o treinador Mihajlovic lançou o guardião de 16 anos para “abanar” a equipa. E conseguiu. O rapaz agarrou a baliza e Diego Lopez nunca mais foi titular (até então era indiscutível na baliza). Destacou-se, jogou grandes clássicos em Itália (com qualidade) e até já jogou pela seleção de sub21 de Itália! E dias após perder a final da Taça de Itália por 1-0 no prolongamento contra a Juventus, falou à imprensa italiana.

Disse nunca ter esperado ser titular esta temporada e que soube que ia para a baliza, no jogo contra o Sassuolo, no dia anterior. Com a partida do treinador, despedido perto do final da época, surge o agradecimento do jovem Donnarumma:

“Devo-lhe muito. É graças a ele que estou a viver este sonho de ser titular. Tenho pena que tivesse saído. Depois daqueles amigáveis no Verão fiquei a saber que ia trabalhar com Diego e Abbiati. Estava feliz por isso mas nunca esperei jogar. Nem quis acreditar que era a realidade mas foquei-me e tentei agarrar a oportunidade. E consegui!”

Afirmou que depois da derrota na final da taça de Itália contra a Juventus chorou e que está triste por não jogar na Europa na próxima temporada. No entanto, a nível pessoal, foi uma época bem conseguida para o jovem guardião. Fica o destaque para o agradecimento para o treinador que o lançou na ribalta, mostra a humanidade e humildade do jovem guardião.

 

Facebook Comments