É algo habitual porque é o mais fácil de fazer: relembrar e salientar o erro e esquecer o sucesso. E foi isto que aconteceu a Maksym Koval na noite de ontem na derrota (e eliminação do Kiev) contra o Young Boys no último minuto no playoff da Champions League .

Há alguns anos atrás, o guardião – então jovem – ucraniano do Dinamo Kiev era uma das maiores promessas a nível mundial. A demora na sua afirmação deveu-se a uma aposta (que estava a ter sucesso e que deu títulos) em Shovkovskyi que se retirou no ano passado e que, com o empréstimo de Koval, foi Rudko a assumir a baliza. Pelas indicações neste início de época, a aposta parece ser em Koval e que se espera que não seja quebrada pelo erro (decisivo) de ontem.

Porque é isto mesmo que interessa focar: foi um erro numa eliminatória a nível individual a roçar a perfeição. Corajoso nas abordagens pelo ar, um sentido posicional acima da média e uma confiança em si extrema… acabando isso por o trair no último minuto. (ver aqui).

O resultado final não foi o ideal para o Kiev e terminar com um erro do seu guardião não é um bom indicador. E isso é que, infelizmente, fica na memória dos adeptos. E nos próximos tempos irá ser mencionado como a cara do insucesso do Kiev nesta eliminatória quando podiam (e deviam) focar-se no sufoco que permitiram aos suiços do Young Boys e que só não ficou resolvida mais cedo a eliminatória para os suiços porque o mesmo Koval defendeu mais de uma mão cheia de bolas difíceis que na altura evitaram esse desfecho.

Apesar disto, será um bom momento de aprendizagem. Excesso de confiança (porque foi isso que aconteceu) nem sempre é positivo. Mas Koval é um guarda-redes que ainda mantém o potencial para ser um dos melhores na Europa. Basta aprender com o erro e melhorar… porque o potencial está lá na íntegra e adormecido com tantos empréstimos. Esta terá de ser a época de afirmação. E no fim… ninguém se vai lembrar desta falha no meio de tantos êxitos individuais. Tem ainda 24 anos…

Facebook Comments