#30 Matous Trmal – O jovem checo que chega à Cidade do Berço para jogar? 

Análise por Gonçalo Xavier, Fundador e Gestor d’A Última Barreira e Treinador de GR

Matous Trmal, 1.90, vindo do Slovacko (Rep.Checa) por um milhão de euros – pelo que é reportado na imprensa nacional – a fazer 22 anos de idade no fim deste ano. É internacional jovem pelo seu país, que já viu Petr Cech e Vaclik brilharem nos últimos anos, e mantém-se como uma aposta a curto-médio prazo de mercados periféricos e com internacionalizações jovens que são apanágio desta direcção do Vitória SC desde o ano passado.

Assinou até 2025 e dadas as notícias da eventual saída de Douglas (actual titular) e da já consumada venda do Miguel Silva ao APOEL, pode ser uma das apostas do clube para a titularidade na próxima temporada, num clube que será liderado no futebol pelo treinador Tiago, na sua estreia como treinador principal. Junta-se a Jhonatan (que esteve a época toda lesionado e não jogou, depois de brilhar na temporada anterior no Moreirense) e Tié contratado a custo zero ao Chelsea.

Actualmente jogava no Slovacko, clube do meio da tabela da principal liga da República Checa, não sofrendo golos em quase metade dos jogos disputados (13 jogos sem sofrer em 27 disputados). Curiosamente, pós confinamento, fez um jogo completo e no jogo seguinte lesionou-se aos 17 minutos de jogo num choque contra o adversário, fazendo assim a sua despedida (da pior e mais infeliz forma possível) do clube e de partida para Portugal. A partir da sua lesão, não jogou mais e a equipa perdeu todos os jogos que disputou… mostrando assim um indício da sua importância no grupo.

A dinâmica com a equipa ou com o grupo dos GRs:

Para a época que vem, 20-21, é uma total incógnita o que será o Vitória SC pois o seu treinador fará a sua estreia como treinador principal. Logo é difícil existir uma percepção de fora do que é necessário ao GR no seu modelo de jogo e também das intenções desta contratação, se foi uma boa oportunidade de negócio pelo seu perfil e potencial para valorizar e vender ou se foi um pedido do treinador para dar rendimento desportivo na actualidade.

Mas se os guarda-redes forem os que referimos em cima, serão dois jovens (Trmal e Tié) e um mais experiente como Jhonatan. Ou seja uma dinâmica de dois jovens e um experiente resulta por norma sob as condições do mais velho ser o titular e os outros a crescer na sombra ou desse estar muito tranquilo com a posição de número 2 da equipa e ajude os outros a crescer também, desta vez com minutos de jogo. Ora o que acontece aqui é que existem dois potenciais titulares a curto prazo, mas um vem com duas épocas seguidas de rendimento fora de Portugal num futebol muito diferente do que é aqui praticado e o brasileiro Jhonatan esteve o último ano inteiro sem competir. Não se inclui Tié nesta lógica pois tem poucos jogos como sénior e o seu percurso pode passar pela equipa B/u23 para ir crescendo a jogar.

Sendo uma incógnita a sua incursão e como será feita, se a jogar ou na sombra, fica a antevisão que chegará para ser titular mas com a opinião que a curto prazo pode não estar muito preparado para ser consistente em todos os sentidos. 

O que vale afinal Trmal? Do colectivo… ao pormenor individual:

O Slovacko é uma equipa competitiva mas de meio da tabela. Tem apenas um título no seu histórico e foi na segunda liga checa. Ou seja não existe uma grande exigência ou intolerância ao erro… que, por exemplo, existe no clube pelo qual Trmal foi contratado.

A liga checa é um campeonato de muita lateralização de jogo e futebol mais longo e directo que potenciam muito os cruzamentos mais ou menos fundos e cabeceamentos ou remates à entrada da área com frequência, de forma directa ou como segundas bolas. Ou seja, a construção de jogo a partir do GR é limitada a pontapé longo (em Portugal não tem sido frequente esse tipo de abordagem, pelo contrário).  Não foi um guarda-redes muito estimulado ao futebol mais curto a partir do GR, tendo por base ser ele a iniciar a transição ofensiva com a mão ou pé. Ou seja, não é um guarda-redes que tenha essa capacidade evidente a curto prazo sem ter o trabalho integrado e específico para esses desígnios em algo com mais responsabilização para quem está na baliza por estar mais exposto ao erro e à complexidade de acções.

Existem muitos duelos e ocasiões de golo por jogo e vários estímulos de ordem defensiva para os guarda-redes, sendo a maior decisão táctica que estes possuem a definição do primeiro posicionamento mas em seguida o objectivo é defender a baliza e não em antecipar o lance e ser proactivo para interceptar a bola. Com o crescer de confiança dos mesmos intervenientes e como o futebol não é muito distinto disto, podem crescer de forma natural para esse antecipar e assim ganhar valências distintivas. Trmal é um desses casos que, como corre relativamente rápido e de forma equilibrada, é capaz de antecipar pelo ar essas bolas mas o problema está no primeiro posicionamento adoptado antes da bola ser cruzada ou chutada, que aí carece de revisão para não estar a correr “demais” e chegar à bola de forma mais equilibrada e atempada possível.

A morfologia leve e alta, 1.90m de altura, nacionalidade a leste e ter 21/22 anos de idade conferem-no como um activo para render desportivamente em Portugal e vender por mais do que aquilo que custou. Muito leve de deslocamentos e rápido e explosivo nos voos para alguém com esta altura. Não tem problemas em “correr na baliza” para defender mesmo que no pormenor por vezes não seja o mais coerente possível, mas defender no limite é algo que para ele é comum. A base do “porquê” defender no limite, sendo este limite muito incidente nos remates ao segundo poste em cruzamentos mais abertos, prende-se pelo seu primeiro posicionamento muito defensivo a primeiro poste onde se foca na bola e não tanto em tudo o que se rodeia.

Fiquem com as melhores defesas para o observarem melhor:

Numa segunda nota, pois devemos olhar para tudo no que diz respeito a um jogador, que quando n’A Última Barreira se faz uma análise a alguém, a primeira procura é sempre pelos erros que deram golo ou pelos golos sofridos e só depois se vê as defesas feitas. Porquê? Uma pessoa define-se no insucesso/fracasso e não no sucesso. A adversidade, e como se reage e se dá a volta à mesma, dita a maioria nestas análises. 

E o que chama mais à atenção de Trmal quando se vê os seus golos sofridos é a forma introvertida – quase passiva e despreocupada- ao sofrer golo. É um traço psicológico que pode ser muito bom ou péssimo, depende de como ele age nos restantes momentos. Mas é algo que dá que pensar. Estando a ganhar, 4-0 e sofrer o golo que evita uma baliza inviolada ou a perder… são raras as vezes em que reage. Isto pode-se dever por estar numa equipa com baixas expectativas em cada época e onde o golo “não é caro e pouco habitual”. Mas é um traço que, num momento de maior complexidade ou adversidade, este perfil menos competitivo (mesmo que com ele apenas) pode ter problemas a médio prazo. Por outro lado, podia ser uma vantagem para tomar melhores decisões de forma mais limpa (mas cremos não ser esse o caso aqui).

Ora vejam alguns golos sofridos na época que agora finda e como ele reagia aos golos sofridos (e foquem-se agora nisso, já vamos à restante análise):

E aqui entra outra característica inerente a isto: comunicação. Não é de comunicação forte, fazendo com que a sua capacidade na baliza “fale por si”. Num GR que se quer de tomada de decisão simples no tempo e no espaço, é algo que não é assim tão crucial. Num GR de “maior” envergadura e responsabilidade táctica, torna-se essencial ter esta capacidade bem aprimorada, mas é algo que é trabalhável com os devidos alertas para a sua importância. (podem re-ouvir o nosso podcast sobre esse tema onde podem perceber a importância, e como se trabalha a mesma, aqui).

E o Vitória SC teve nos últimos anos dois guarda-redes muito fortes na comunicação como Douglas e Miguel Silva.

Estes dois traços de perfil psicológico num ambiente exigente como aquele que os adeptos vitorianos colocam nos seus jogadores e estrutura pode dar algo fantástico (pois não absorve do ambiente à sua volta) como nocivo (pela relação criada com os jogadores e adeptos não ser estimulada a partir do campo). E como ninguém sabe dos moldes em que os adeptos podem aceder aos estádios na próxima temporada… pelo menos no início será “mais livre” no que diz respeito ao ambiente envolvente, ajudando assim na adaptação.

Em suma, não sendo a nossa aposta a curto prazo para a equipa pois tem carências de ordem táctica e técnica e na sua integração no colectivo de se assinalar num clube como o Vitória SC, podendo Jhonatan estar mais apto nos próximos tempos (nesse a ordem é ao inverso, de moderar os ímpetos e ousadia posicional, sendo um processo contrário a Trmal onde é preciso “criar” essa parte), mas a médio prazo Trmal seria sempre aposta pelos motivos acima referidos.

É um activo para se ter em atenção e que se entende a contratação na perspectiva do negócio, não descurando a parte de rendimento que certamente dará a médio prazo depois de aprimorar em Portugal aquilo que lhe falta ao nível táctico e técnico. Com destaque para o momento do cruzamento em ter o posicionamento para ganhar ângulo de visão para o que está à sua volta – indo além do mais defensivo possível como é estar no primeiro poste – no controlo da profundidade onde não foi muito estimulado nos últimos anos, na capacidade com os pés que a longa distância é boa mas quando se fala em futebol curto é débil porque não foi necessária até hoje na sua carreira. Mas com óptimas condições físicas para a posição mas carece de um acompanhamento de perto para quebrar alguns vícios que tem. Quando crescer na parte táctica e psicológica do jogo – indo além na comunicação e espírito competitivo e combativo, que pode ganhar em Guimarães, sem dúvida – pode ser uma grande surpresa para os olhares em Portugal e lá fora também. 

Por 1 milhão vale bem o risco. Agora é treino de qualidade e bons estímulos colectivos, e nisso Portugal é fértil em dar aos seus jogadores para crescerem e mostrarem-se ao mundo. E os adeptos vimaranenses nos últimos pediram algumas vezes um guarda-redes novo… aqui está ele.

✍🏽 Trmal é reforço para a balizaGuarda-redes checo assinou até 2025➡️ Sabe mais: https://bit.ly/3120Ba8#Conquistadores #SomosAAlmaDoRei

Publicado por Vitória Sport Clube em Sexta-feira, 31 de julho de 2020

 

Facebook Comments