Cláudio Ramos, guarda-redes do CD Tondela em exclusivo para A Última Barreira!

A actuar há 4 temporadas no CD Tondela, o guarda-redes natural de Touro, em Vila Nova de Paiva, falou à Última Barreira sobre a sua carreira, a ligação ao seu actual clube, as suas referências e como não poderia deixar de ser… de guarda-redes!
A tua página traz-te agora a entrevista exclusiva com o jovem guardião que continua a lutar pelo sonho de chegar à primeira liga portuguesa.

Sandro Veloso: Como te defines como guarda-redes?
Cláudio Ramos: Considero-me um guarda-redes equilibrado mas tendo como ponto forte o posicionamento dentro dos postes.

SV: E qual é para ti a característica fundamental para um GR de topo?
CR: Na minha opinião o mais importante é a parte psicológica do guarda-redes. Se um guarda-redes não for forte psicologicamente então não será bom.

SV: Sendo tu um GR de baixa estatura («n.d.r» 1.83 cm), sentes que isso influencia a tua abordagem a determinados lances?
CR: Não sinto isso porque nunca fui alto e por isso nunca o vi como um problema.

SV: As tuas saídas no 1×1 são muito elogiadas por quem acompanha o teu trabalho. Onde desenvolveste esta técnica?
CR: Em Guimarães, na formação, foi algo que treinei muito, principalmente em contexto de jogo. A nossa equipa era forte e era comum por parte dos adversários jogar em contra-ataque o que me fazia estar muitas vezes na posição de 1 para 1 e melhorar esta técnica.

SV: E em relação ao comando da área? Consideras-te um líder para o sector mais recuado?
CR: Não sou resguardado, considero-me um guarda-redes interventivo e bastante comunicativo mas não um líder. Foi algo que melhorei muito nos últimos 3 anos ao serviço do Tondela, com a idade e a experiência.

SV: E o que pensas do GR típico português? O que poderá melhorar no futuro?
CR: Há uns anos atrás não eram muito trabalhados na formação e por isso os nossos guarda-redes tinham muitas falhas. Hoje em dia o trabalho melhorou e dessa forma também os guarda-redes melhoraram. Considero que a vinda de guarda-redes brasileiros para Portugal também foi muito importante para essa melhoria.

SV: Estás na tua 4ª época ao serviço do Tondela. Acreditavas que irias ter esta ligação duradoura com o clube quando chegaste por empréstimo do Vitória SC?
CR: Quando um jogador é emprestado por um clube da 1ª liga é com o pensamento de regressar, mas não foi o que aconteceu e não penso mais nisso. Fiquei feliz por ter ficado neste clube e jogar com regularidade e fazer bons campeonatos.

SV: E como viste o crescimento do clube desde a tua chegada?
CR: Cheguei na época em que subimos aos campeonatos profissionais e embora na altura houvesse falhas, vi que o clube tinha uma estrutura muito boa para chegar a este patamar e até mais alto do que nos encontramos de momento.

SV: E já te consegues ver a defender as redes do CDT na primeira liga?
CR: Ver consegue-se ver sempre. Pelo actual momento de forma da equipa imagina-se ainda mais agora, no entanto sabemos que ainda falta muito campeonato e iremos pensar num jogo de cada vez.

SV: Se para o ano conseguisses atingir o patamar da 1ª liga com que GR gostarias de trocar de camisola?
CR: Existem muitos bons guarda-redes na 1ª liga mas escolheria o Júlio César pelo seu histórico. Não é à toa que já foi considerado o melhor guarda-redes do mundo!

SV: Há tantas épocas no Tondela já deves ter feito boas amizades com colegas de equipa… alguma que queiras destacar?
CR: Destaco o grupo que está comigo desde o início, quando cheguei ao clube em 2011.

SV: E a nível de treinadores, houve algum que te tenha marcado na tua carreira?
CR: No Guimarães o Luís Esteves e o Pedro Brandão. Em Tondela o Cadete.

SV: Agora falemos nos adversários… Há algum clube que tenhas mais prazer em defrontar?
CR: Jogar contra o Guimarães B costuma ter um gosto diferente por ter passado bons momentos naquele clube. Também gosto de jogar dérbis pelo ambiente em redor do jogo.

SV: E em relação a jogadores, qual foi o avançado que mais trabalho te deu até agora?
CR: O Tozé Marreco. É impossível ganhar-lhe! (risos)

SV: Em entrevista ao portal zerozero referiste recentemente quais são os teus clubes preferidos em Portugal… e no estrangeiro? Qual é o teu clube e liga de sonho?
CR: Se tivesse a oportunidade de escolher jogaria no Real Madrid e por isso na liga espanhola.

SV: Passando agora às tuas referências… quem é para ti actualmente o melhor GR do mundo?
CR: O Neuer, sem dúvida! É simplesmente incrível a forma como joga fora da baliza e se posiciona perto do meio-campo, melhorou muito a jogar com os pés com o Pep Guardiola e tem uma estatura física impressionante.

SV: Sei que gostas de ver vídeos de outros GR no youtube. Faze-lo de forma recreativa ou para melhorar? Que tipo de vídeos costumas ver?
CR: Faço-o mais por gosto e não tanto para corrigir algo. Costumo ver um bocado de tudo, como os resumos da jornada e os tops de defesas como o da liga francesa. Acompanho a Última Barreira e gosto de ver os vídeos que publicam.

SV: Agradeço a preferência em nome d’A Última Barreira. Deixando um pouco a baliza de lado… Tens algum ídolo no futebol que não seja GR?
CR: O Ronaldinho. Foi o melhor jogador que vi jogar, tinha uma paixão pelo jogo contagiante e uma qualidade técnica acima da média.

SV: E como é a tua relação com a comunicação social?
CR: Vais-te habituando com o tempo e em cada entrevista vais ficando menos nervoso.

SV: Já te fizeram alguma pergunta que te tenha colocado sem resposta?
CR: Nem por isso, uma pessoa dá sempre a volta por algum lado.

SV: E há alguma pergunta que não te tenham feito mas que gostasses?
CR: Perguntarem-me pela minha namorada. Ela queixa-se sempre que não me pedem para falar dela. (risos)

SV: Antes de acabarmos gostava que deixasses um conselho para os jovens que sonham vir a ser GR profissionais de futebol.
CR: Nunca desistam se é disto que gostam mesmo, nunca se deixem ir abaixo porque esta posição está mais propícia a erros e não se podem deixar abater por isso.

SV: E enquanto seguidor d’A Última Barreira queres enviar alguma mensagem para a comunidade?
CR: Agradeço à página pela oportunidade da entrevista e pelo bom trabalho feito pela posição de guarda-redes. Espero que as pessoas gostem e partilhem a entrevista.

SV: Em meu nome e da página A Última Barreira agradeço-te a disponibilidade desejando-te as maiores felicidades pessoais e profissionais.