Muitos não lhe atribuem a devida importância e relevância nas equipas por onde passa, mas Claudio Bravo é decisivo (de forma constante e consistente) nos êxitos das suas equipas.

Este ano civil de 2015 foi um sonho para o guardião chileno. Venceu (quase) tudo o que podia ganhar com o Barcelona – apenas perdeu a Supertaça Espanhola – e venceu, perante os seus adeptos chilenos, a Copa América. Hoje venceu o último dos títulos possíveis neste ano de ouro. Sem golos sofridos nos dois jogos efectuados, contra os campeões chineses e o vencedor da Libertadores River Plate, saiu do Japão com a conquista do Mundial de Clubes.

Em suma, estes foram os títulos conquistados em 2015, partilhando alguns o protagonismo com Ter-Stegen:

– Vencedor Liga Espanhola;
– Vencedor Taça do Rey;
– Vencedor da Liga dos Campeões
– Vencedor da Supertaça Europeia
– Vencedor do Campeonato do Mundo de Clubes
– Vencedor da Copa América.

Se fosse um jogador de campo, talvez já estivesse nomeado para Melhor Jogador do Mundo. Como é guarda-redes… fica apenas com os títulos conquistados e mais nenhum reconhecimento. Fica a nossa homenagem a este gigante das balizas!