Ontem foi realizada a gala para premiar os melhores intervenientes durante o ano de 2015 no Futebol, e com ela vieram as polémicas também.

Depois de Iker Casillas, como capitão de Espanha, não ter votado na eleição para o melhor do mundo por os seus papéis terem tido um atraso na entrega, também Buffon no fenómeno dos guarda-redes não votou… mas por imposição da federação italiana de futebol. Em causa está o desprezo na elaboração da lista de melhores 59 jogadores de onde não constava Buffon que venceu tudo internamente pela Juventus e tendo sido vice-campeão europeu, numa das suas melhores carreiras a nível individual e colectivo.

Nessa lista constavam grandes nomes como Courtois e Neuer, Casillas e Bravo em Espanha e ainda o surpreendente… Ospina, pela sua qualidade demonstrada na Copa América. Mas não estava lá Buffon e isso gerou polémica.

Polémica essa que foi consumada com a abstenção no voto de Conte (selecionador italiano) e do próprio Buffon (capitão) para eleger o melhor do ano. Como tal Messi foi eleito melhor jogador do mundo mas não foi com o voto dos italianos…