Nivaldo, guarda-redes da Chapecoense, de 42 já falou à imprensa após o desastre que devastou praticamente toda a sua equipa.

Estava programado fazer o seu último jogo na última jornada da liga brasileira, contra o Atlético MG, atingindo aí a marca dos 300 jogos no seu clube e perante os seus adeptos. Seria a sua homenagem. O guardião não foi convocado na última jornada e diz que foi uma decisão de última hora que o tirou da convocatória para a Taça Sul América. O clube foi directamente do ultimo jogo com o Palmeiras para a Colombia e a convocatória repetiu-se na sua maioria. Como não regressariam a Chapeco depois do jogo com o recém campeão brasileiro, foram directamente para a Colômbia desde São Paulo. Nivaldo como estava agendado para jogar na ultima jornada da liga, não partiu nestas recentes convocatórias.

De salientar que Nivaldo estava no clube desde 2006, quando o clube ainda estava nas divisões secundárias do Brasil (Série D)

Ficam as suas declarações emocionadas quando fala de Follmann, um dos sobreviventes da tragédia e seu colega da baliza (ver aqui a notícia)

“Estou a rezar para ele (Jacson) se recuperar. Acho incrível o milagre que aconteceu mas infelizmente ele não vai conseguir prosseguir com a sua carreira”…